Novas histórias para a Prainha

“Olha ali, a Prainha iluminada!”. Eu estava encantada em ver aquela cena. Deveria estar magoada pela demora que levou aquele lugar a ficar fechado por tanto tempo. Deveria estar querendo entender porque, depois do sucesso do Ramiro Ruediger como espaço de lazer, a Prainha não se tornou prioridade máxima. Mas, não. Eu só estava feliz. Continuar lendo “Novas histórias para a Prainha”

Anúncios

Se não morássemos em Blumenau

Não sou de Blumenau. E, talvez por isso, varie entre momentos em que sou absolutamente turista nessa cidade onde vivo há mais de 10 anos com outros em que me pego com discurso absolutamente local – especialmente quando é hora de reclamar. Outro dia, ouvi um turista (sotaque paulista, meo) perguntando para outro “como deve ser morar numa cidade onde o rio faz curva?”. Continuar lendo “Se não morássemos em Blumenau”