Quando foi que passamos a torcer contra o Brasil?

“Noventa milhões em ação, pra frente Brasil do meu coração!”. A música começava a ser ouvida na TV e uma criança feliz como eu, no início da década de 1990, já sorria largo: alguma coisa que envolvia a seleção brasileira ia rolar. Estava garantida a pipoca com melado, o aperto da família no sofá e a bandeira verde e amarela pendurada numa janela qualquer. Uns dias antes ou depois, pulávamos aos gritos de “Ayrton, Ayrton, Ayrton Senna do Brasil”. Continuar lendo “Quando foi que passamos a torcer contra o Brasil?”

Três mulheres: passado recente, presente e futuro

Luisa, Eliza e Ana Maria têm idades diferentes. São 5 anos, 2 primaveras e 10 dias, respectivamente. Pra qualquer um, são crianças que descobrem o mundo – cada uma na sua fase e ao seu jeito. Em mim elas provocam, entre brincadeiras e choros, um transporte ao passado e uma preocupação imensa com o futuro. Continuar lendo “Três mulheres: passado recente, presente e futuro”

Dia dos Namorados: comemore apenas se estiver inteiro

Não é a quantidade de corações de TNT nas vitrines, nem as cafonas e inaceitáveis sacadas sexistas da propaganda, nem os anúncios no Facebook de restaurantes buscando reservas. O que nos lembra que é Dia dos Namorados no próximo domingo é a auto-avaliação de quem está num relacionamento e quer entender se há motivos para comemorar. Continuar lendo “Dia dos Namorados: comemore apenas se estiver inteiro”

O mar é para todos, o rio também

Li tardiamente Feliz Ano Velho, do Marcelo Rubens Paiva. Já nas primeiras linhas, quando ele descreve a sensação libertadora e incrível de estar à beira do rio com os amigos brincando naquele espaço, voltei a ser criança. Continuar lendo “O mar é para todos, o rio também”

Orgulho catarina

Há uma lenda que, no setor de tecnologia de uma das maiores empresas de bebidas do país, quando o problema é grande o suficiente para beirar o impossível, se use o “código 47”. Poderia ser a ativação de um comitê especial, mas é apenas um código mesmo. De área. Que estabelece uma ligação telefônica com uma região de Santa Catarina. Quando não há quem resolva por lá, se busca a solução na qualificação e na qualidade do trabalho dos profissionais daqui. Continuar lendo “Orgulho catarina”