É melhor ser triste do que ser alegre

Quero começar esse texto te dizendo que você não precisa sentir pena de mim. Não me imagine chorando, nem sentada num quarto escuro. Estou vestindo roupas coloridas, apaixonada pela minha vida e pelas pessoas que nela habitam, cheia de planos pro futuro. Mas, ainda sim, vez por outra, me pego triste.

Aquela melancolia que chega no domingo à noite, saudades dos amigos que eu tive, vontade de ficar naquela posição fetal pra chorar melhor. E tudo bem. Tudo bem ver o mundo com efeito sépia, tudo bem querer ouvir César Camargo Mariano, sentir os olhos encharcarem com o rasgo que o Damien Rice faz no meu peito. Está tudo bem. O mundo não se tornou um inferno porque prefiro a tristeza.

A alegria me deixa efusiva, tagarela, sufocante, mesmo pra mim. É como se o contraste do mundo fosse alterado e tudo estivesse colorido demais – no primeiro olhar é encantador, mas depois se torna cansativo. Chego aos fins dos dias exausta na alegria e em paz na tristeza.

Adoro ser alegre, mas me aproximo mais de mim na tristeza. A alegria me deixa tola, superficial. Alegria me faz gritar, quando a tristeza me sussurra. Na alegria danço samba, gargalho alto, não deixo meu sorriso guardar. Na tristeza bebo uma taça de vinho e me deixo emocionar por uma poesia cheia de rimas (não importa se pobres).

Não tenha preconceito com a tristeza. Nem toda tristeza é infelicidade, nem toda tristeza é preta e branca. Tristeza é estado de sensibilidade extrema para bem e para mal, é conseguir se colocar no lugar do outro como na alegria nunca é possível. Na alegria não conseguimos entender a nada nem a ninguém.

Prefiro gente triste. Gente triste é mais profunda porque a tristeza é um mergulho nos seus próprios medos, desinteresses e vontades. Gosto de gente que também é feliz quando não está alegre. Porque essa gente é aquela que percebe que não dá pra viver uma vida de Instagram o tempo todo, que o pijama às vezes é mais valioso do que um vestido de luxo e que todo mundo tem medo.

Tá vendo como a tristeza é bonita? Tristeza é pra dentro, alegria pra fora. Uma dá vontade de viver e outra vontade de contar. Uma é o encontro consigo mesmo, outra com os outros. Então porque temos vergonha da tristeza e orgulho da alegria?

Ser triste não deveria ser o contrário de ser feliz, mas de ser alegre. Eu prefiro ser triste, porque assim sou mais feliz.

Anúncios

Um comentário em “É melhor ser triste do que ser alegre

  1. A tristeza transforma, como ja dizia Rubem Alves: “Ostra feliz não faz pérola. Ótimo texto.

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s