Recomeço (Antes que termine o dia)

Depois de não conseguir mais abrir os olhos de tanto chorar pela sua falta de certeza e pela minha falta de coragem, eu encarei a minha própria imagem no espelho. O que diabos eu estou fazendo com a minha vida? Porque você, porque esse sofrimento todo e porque eu finalmente não aceito que as coisas podem não ser como eu planejei?

Foi aí, nesse momento, que eu pensei em um por um dos seus defeitos. A imagem de cada uma das pessoas que me disse pra ter cuidado com a sua instabilidade passou pela minha cabeça, e conscientemente me desculpei com cada uma delas. A minha teimosia, mais uma vez. Pela primeira vez eu não consegui imaginar um futuro bonito pra mim e pra você, consegui pensar em não te escrever versos, em não usar o termo nós.

Eu olhei no fundo dos meus olhos e lá, acuada e escondida, estava o que restou de mim. Aquele pedaço da minha vida que eu esqueci de cuidar, porque eu estava ocupada demais tentando cuidar de você. Lá estavam os pedaços de alguém que eu fui, lá estava a verdade que eu insistia em esconder. Era ela, e só ela, que precisava de mim agora. Lá no fundo da minha alma, não estava mais você. Eu te expulsei de mim, porque a gangrena que você fazia no meu peito não tinha mais jeito. Talvez eu nunca mais consiga andar reta de novo ou quem sabe nunca mais me apaixone. Mas eu não consigo mais conviver com você em todos os cantos de mim.

Peguei o telefone e disquei o teu número. Só quis comprovar pra mim mesma que você não queria mais se dividir comigo. Perguntei quatro vezes se estavas bem. Mesmo sabendo que você responderia sim e eu saberia que não, decidi que a minha falta de auto-piedade dessa vez ficaria no limite dos meus impulsos e não partiria pra ignorância. Você não sabia, mas aquele tchau na verdade era um adeus.

Desliguei. Eu consegui lembrar com um carinho imenso de cada um dos seus detalhes. Cenas e diálogos que seriam apagados da minha memória em instantes, sem direito de restauração. Você foi uma grande paixão. Daquelas de não conseguir respirar direito, dormir direito, sonhar direito. Você foi o começo, o meio. Você foi o que eu tive de mais bonito em mim. E você estava indo embora. Eu ali, sozinha, era o fim da história.

Encarei o espelho novamente. Joguei água gelada no rosto, olhei pra frente e vi ali a única que poderia fazer com que eu voltasse a sorrir. Como um ritual silencioso e invisível, fiquei em silêncio deslizando os dedos sob o meu rosto. Era o mesmo daquele dia em que você parecia querer decorar cada pedaço meu, daquele dia que apesar do frio, eu senti o calor mais intenso de toda a minha vida.

Coloquei, dessa vez pra sempre, a minha máscara. Coloquei os meus sentidos no lugar e percebi a bagunça que você tinha feito com eles. Coloquei os meus pensamentos no lugar, e percebi que você roubava a minha capacidade de pensar. Coloquei os meus sentimentos num canto, bem escondidos. E eles, que antes não cabiam em mim, agora são só um único baú trancado por sete chaves e um milhão de medos.

Você foi embora. Eu também. E aquele dia que eu fui até você contra a sua vontade pra olhar nos teus olhos, te abraçar, te dizer que tudo ia ficar bem e te mostrar, sem palavras, que não havia motivos para temer, a partir de agora, é só um pretérito perfeito. Perfeito como você definiu um dia. Perfeito como só o amor pode ser. E você me convenceu que amor, de fato, não existe.

Anúncios

7 comentários em “Recomeço (Antes que termine o dia)

  1. Ver alguém que é puro sentimento perder a fé no amor, é algo que o mundo só pode lamentar. Afinal, precisa-se sim, de cada vez mais amor…

  2. Existem assuntos que, já que posso, gosto de me limitar a escrever. Um deles é o amor.

    É pessoal e intenso demais para ser definido como se fosse matemática lógica. Pelo contrário: é ilógico.

    Mas penso que deva existir, sim. Sem ele, não imagino uma vida verdadeiramente feliz.

  3. Marina morena,
    precisamos conversar.
    Porque de chorar até o ponto de não conseguir abrir os olhos no outro dia é um negócio que eu entendo.
    Saudades

  4. Concordo com o Jean. O que não existe é a felicidade. Pelo menos não do modo como a imaginamos e desejamos, plena e inacabável.
    Mas o amor existe, embora tb não seja perfeito como em onssos ideais. Existe nas suas diversas formas.
    Fique bem.
    Bjs.

  5. ei, para tudo que o assunto já está se desvirtuando!
    A felicidade existe sim! Um dia no parque, comer picolé na chuva, visitar uma nova cidade ou comer brigadeiro embaixo das cobertas e bebendo um bom vinho vendo DVD estão aí para provar isso.
    O assunto aqui é amor.

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s