Um medo filho-da-puta

Eu sinto medo da solidão, mas de tanto temer me acostumei com a presença dela e agora ela faz parte de mim. Tenho medo dos meus pensamentos, do barulho dos trovões e da noite. Tenho medo da minha imaginação e das minhas palavras que simplesmente acontecem sem medo.

Tenho um medo doído de nunca conseguir me sentir bonita. Mais medo ainda de admitir que toda a minha falta de vaidade é só um refúgio pra minha baixa auto-estima.Tenho medo da minha eterna insatisfação – e aí eu percebo que usei a palavra eterna, e a eternidade me dá medo pra cacete.

Eu sinto medo de dormir, porque eu sei que vou ter que acordar e acordar me dá um medo violento. Também tenho medo de ser fria demais, por isso exagero e acabo tendo muito mais medo de ser de verdade, porque eu tenho medo das minhas verdades.

Sinto medo de crescer e mais medo ainda de ser pra sempre criança. Tenho medo de pensar que já sou adulta e que a juventude é passageira. Morro de medo da velhice e de me sentir impotente. A impotência me dá ânsia de vômito, e eu quase vomito de tanto medo que eu tenho de vomitar.

Eu me contorço de medo de saber que existe alguém que vá me fazer feliz, e aí eu choro de medo da alegria que eu vou sentir, porque eu sempre me aproximo mais de mim na tristeza. Eu tenho pavor da finitude da paixão, aí eu sempre encurto o caminho e acabo sofrendo de medo de não me apaixonar de verdade nunca mais.

Eu sempre tenho mais medo que se apaixonem por mim do que de me apaixonar por alguém, porque eu sei o que é sofrer por quem não merece.

Tenho medo da minha insegurança, que me deixa tão sem chão que eu preciso me reafirmar o tempo todo. Aí eu fico tão de saco cheio que eu tento acreditar um pouco em mim sem essa mania de auto-afirmação e morro de medo de ser só mais uma pra todos.

Eu morro de medo de não atender expectativas, aí eu fico nervosa e não atendo mesmo e fico me sentindo a pior das criaturas. Eu tenho medo de ser a pior das criaturas.

Eu tenho medo que descubram que eu falo sozinha, que percebam que a minha loucura é permanente. Eu sinto medo dos meus personagens, que de tão reais criam vida própria e me fazem perder o controle. Eu tenho medo da minha falta de controle e muito, mas muito, mais medo de quando eu posso controlar qualquer coisa.

Eu sinto medo dos meus sonhos, porque eles sempre me trazem surpresas e eu sempre acabo acreditando que um dia elas vão acontecer. Eu tremo e gaguejo de medo de parecer ridícula e a minha preocupação se torna tão ridícula que eu tenho medo que descubram o que acontece aqui dentro.

Eu tenho tanto medo da saudade que eu sinto do que não aconteceu, que viver cada dia se tornou uma constante busca por um passado que eu não vivi.

E o meu maior medo (um medo filho-de-uma-puta que não me abandona um segundinho sequer) é não viver de verdade.

Anúncios

9 comentários em “Um medo filho-da-puta

  1. ih…não viver de verdade é mesmo um medo filho-da-puta. E trabalhar multiplica esse medo.

    estou de volta com o blog, agora, tá?

  2. To te dizendo. Eu senti medo de muitas coisas que escrevestes, lendo teu texto. Isso só é possível porque não tens medo de escrever o que está guardado dentro de ti. Poeta é poeta. No caso, poetisa.

  3. Compartilho vários dos seus medos… Sinto medo de estar sozinha porque tenho medo dos meus pensamentos. Sinto medo de nunca crescer ou de já ser velha demais. Entre tantos outros. Sentir medo é normal. O que a gente não pode é deixar de viver porque tem medo. Viver é sempre um risco…
    Beijos.

  4. Até quando teremos coragem de conversar sobre medo e solidão? Sinto, que estas conversas estão fadadas a não ter um fim. E, isso sim me deixa com medo.

  5. Ahhh Marina, queridinha linda do meu coração… não faz assim… keep it simple! Da uma passadinha lá sabe onde pra tomar um chimas que tudo melhora… :-)

    :* gateenha…

  6. Segundo o psiquiatra angelo Gaiarsa, quando temos muito medo de que algo aconteça é porque o fato já está acontecendo.

    abraço a todos

    Laura

  7. Nao sei..
    Me identifiquei com o texto.
    Vivo uma realidade tao proxima a ela que terminei assustado de ler.
    Acha eu ser apenas mais um tolo que achava q estava sozinho em mundo com medo de tudo inclusive de si mesmo…
    Será que muitos estao nessa condição?? Eu até agora nao encontrei ninguem com tantas incertezas como essas descritas, e sinto muito medo de ser o unico…! Bom seria se eu pudesse encontrar uma CURA para todos esses males.. o Jeito é ir tocando a vida como está, e tentar pouco a pouco superar o MEDO .

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s