Expectativas e comprovações

Há um tempo, um amigo que me conhece melhor que a palma da própria mão fez a tela do meu computador piscar para dizer que tinha inveja de mim. Não entendi nada. E muito menos com a explicação que ele me deu. Segundo ele, a minha vida era emocionante. Alguém aí pode me dizer que raios de emoção acontece na minha vida e só eu não sei viver?

Há um tempo, meu chefe que não é um cara de meias palavras, me disse uma série de coisas sobre a minha vida profissional. Muito mais do que constatações ou elogios, nas entrelinhas ele esclarecia a quantidade e a força de todas as expectativas que ele deposita em mim, mesmo sem saber. Será que algum dia eu vou conseguir atingir metade do que ele pensa que eu sou capaz?

Ontem, uma pessoa mais do que bacana que acabou de entrar na minha vida disse que o que mais chamava a atenção em mim era a responsabilidade. Confesso, fiquei orgulhosa. Por muitas vezes me sinto infantil demais pra assumir qualquer coisa. Minha posição nesse mundo é complicada, eu sei. Muitas coisas aconteceram sem que eu tivesse controle sobre elas, e falta de controle é irresponsabilidade, certo? Eu sei que expliquei isso a ele. Talvez ele tenha mudado de idéia, talvez tenha percebido que a primeira impressão não é a que fica. Não no meu caso.

Hoje eu senti uma falta agonizante de um cara que se foi há pouco tempo. Nessas horas ele deve estar pirando ao som dos tráfegos infernais de São Paulo, enquanto eu lembro que ele sempre dizia que não esperava nada de mim. “Sua covarde de merda”, e piscava o olho esquerdo. Eu ria, mas sabia que tudo aquilo era verdade e que o abraço que seguia a cena era só mais um paliativo para o momento em que ele me diria a verdade. E ele chegou tempos depois. E passou, assim como ele passou pela minha vida.

É difícil constatar que tudo na minha poderia ser diferente quando as pessoas acham tudo perfeitamente coerente, coeso, inteligente do jeito que está. Eu sei que eu poderia mais. Eu sei que eu poderia melhor. O que me trava – não só para abraçar as pessoas em algumas situações, mas também para vive-las – é a droga da expectativa. As características, as personalidades que acham que eu tenho, mas que, no final das contas, são só parte de toda essa coisa complexa que acontece aqui dentro e que não são nada de mais, porra.

Meus amigos querem que eu seja uma boa amiga. Meus pais, uma boa filha. Meu chefe, uma boa funcionária. Além disso, preciso ser uma boa companhia, uma boa aluna, uma boa repórter, uma boa ouvinte. Preciso gostar de músicas boas, de comidas boas, de boa literatura. Preciso manter a boa aparência, o bom-humor, a boa expressão.

Tô de saco cheio e o que eu quero mesmo é ser ruim pra ver se alguém aí tem coragem de encarar a vida comigo desse jeito. Queria uma expectativa do tipo “eu sei que ela não vai dar em nada na vida”. Quem sabe assim eu crio coragem pra ser um pouco de tudo o que os outros querem que eu seja ou acham que eu sou. Isso me lembra o meu amigo que tá em São Paulo, que esperava de mim atitudes covardes e que é a única pessoa do mundo que eu quero provar que não.

Anúncios

9 comentários em “Expectativas e comprovações

  1. Sejamos ruins então.

    Esse negócio de expectativa é realmente uma merda. Mas o meu maior problema não é expectativa é achar que eu não sou boa o suficiente. Minha escrita é ruim, e não há nada que prove o contrário. Eu faço sempre as coisas erradas, sou insegura e ciumenta. Mas fazer o quê, eis a “dor e a delícia de ser quem se é”.

  2. É foda. Difícil até de comentar isso aí. Eu não queria que achassem que eu tenho um grande futuro, que fizessem expectativas sobre mim. Se acharem que eu nunca darei certo na vida, é mais fácil de surpeender a todos com qualquer coisa pequena.
    É bom não ter expectativas sobre si. Qualquer que seja o resultado, será bom.

  3. O que acontece é que as pessoas de fora, tem uma visão diferente de quem você realmente é, e não importa o quanto você demonstra ao contrario, as pessoas vão ver em você aquilo que querem ver. Elas vão exigir de você aquilo que você não é, querem que você seja uma robozinha. Você não pode ir contra a maré que sera mal-julgada. Isso tudo é muito aguniante.
    É extremamente foda pensar que você tem que estar sempre feliz e sempre alegre e sempre dando um sorriso quando você esta na pior tpm da sua vida, porque você pode ser a melhor pessoa pela vida toda, mais basta um “vai a merda”(um pequeno deslize) que toda a sua reputação vai por agua abaixo, porque não podemos falar o que quisermos? Porque não podemos expor nossos defeitos pras pessoas não ficarem achando que somos perfeitos? Porque as pessoas acham que as outras são perfeitas? Porque as pessoas não estão preocupadas em ajudar a proxima? Egoismo? Egocentrismo? Viu, são muitas perguntas, é muita coisa pra nos tentarmos entender, e as vezes tento nem TENTAR entender, pra não me frustrar.

    E digo mais porque ja pensei bastante assim. Quero dar enfase ao seu penultimo paragrafo. É um paragrafo lindo e belo, nele você expressa um sentimento de revolta com um sentimento lindo de preocupação.

  4. e eu acredito que chegou a hora de ser uma bela de uma filha da puta, pra ver se algum relacionamento meu vai pra frente, hahaha!

    até mais ler.

  5. A letra que está no blog do Wolff diz “era provar pra todo mundo, que eu não precisava provar nada para niguém”.

    Pensando bem, toda expectativa, seja ela boa ou ruim, é maléfica. Cria uma agonia ao “esperado”. Mas não esperar nada de ninguém é impossível. Todo mundo projeta o futuro do outro ao conhecer.

  6. Talvez nem todos querem que você seja boa com eles. Talvez alguns precisem um pouco de ruindade, por assim dizer, de vez em quando. Nem sempre todo mundo que tá ao seu lado ou com você quer que você faça tudo por eles, que seja à mercê deles. Faça as coisas por você e que se danem os outros.
    É disso que o mundo falta. Tem muita gente acostumada com a opinião dos outros e sem perceber e agir por si só. Ou seja, pessoas autênticas.

    Adoro aqui.

  7. expectativa é uma bosta, é só o que digo.
    tanto a expectativa que colocam na gente qnt a expectativa que botamos nos outros. penso que estou numa fase (pré-21, pos-19 anos) em que quero fazer o extremo oposto do que as pessoas esperam de mim. o problema com isso é que parte das expectativas condizem com quem sou, ou como fui criada, então rebelar contra isso resulta, de certa forma, em uma crise de personalidade fudida.

    mas essa sou eu. :)

  8. É como eu digo…

    “Quando tive algo a perder, entreguei minha liberdade”.

    No meu caso foi o curso, a possibilidade de futuro rico.

    No seu caso, no texto, são as próprias amizades, essa segurança que tudo isso passa…

    É complicado e divertido. Divertido porque complicado. Complicado porque divertido. É divertido e complicado.

    É um Pastel de Queijo.

    beijos moça!!!

    Por último e menos importante, cheguei no Brasil.
    A viagem foi tranquila, tem fotos no orkut! Nos falamos por messene! =***

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s